LIDERANÇA JUDAICA NAS COMUNIDADES EM TORNO DO PLANETA

Há dezessete anos, tenho viajado por todos os continentes onde já visitei mais de 180 comunidades judaicas em cidades diversas de mais de sessenta países.

Por onde tenho passado, uma circunstância se repete à exaustão: em nenhum destes grupos de judeus encontrei eleições livres e diretas como existem por aqui, na comunidade judaica do Rio de Janeiro. Os dirigentes, via de regra, são escolhidos por meia dúzia de endinheirados que os colocam sentados por certo tempo nas cadeiras que estão ocupando.

O fato de alguém ter sido eleito para dirigir uma comunidade judaica, transforma este alguém em líder? Respondo que ABSOLUTAMENTE, NÃO!!!

Um líder se constrói através das atitudes que toma. Através da ação inovadora na função que ocupa. Através do caráter que possui e dos exemplos que oferece a seus liderados com a conduta que escolhe praticar. Um líder, intuitivamente, atende os anseios do seu grupo social e se coloca em qualquer batalha, na posição de risco. A mais perigosa. Um líder de verdade protege seus liderados contra tudo e contra todos, buscando saídas quando portas e janelas parecem estar se fechando.

Atentem, por exemplo, ao que alguns dirigentes de comunidades judaicas europeias durante o Holocausto decidiram: “se os nazistas estão pedindo 50 de nossos correligionários, vamos atender. Quem sabe, amanhã, nos deixam livres?”

É claro que nossa posição de hoje não é aquela. Mas é sempre bom tentarmos antever o futuro e buscarmos imaginar como agiria aquele que escolhemos para falar em nosso nome numa situação extrema.

Na Europa nada acontece no seio de alguma das comunidades judaicas do Velho Continente sem a polícia na porta.

Por aqui não é muito diferente. Estamos soltos ou estamos presos?

Ser eleito, como muitos já o foram, nada significa caso este momento não seja seguido por um incontável número de ações que calçam esta eleição e que devem ser tomadas com base em um programa consistente, voltado de corpo e alma para a melhoria da qualidade de vida da comunidade que acolheu os apelos daquele que pediu votos e os obteve.

Uma comunidade não quer sentir fraqueza quando avalia o dia a dia daquele que deve falar em seu nome.

Ao contrário, o que todos  querem mesmo é se sentir adotados por seu líder, como se fossem filhos dele.

Como se pode explicar a ínfima participação dos judeus de um determinado local, nas atividades propostas pelas instituições que hipoteticamente deveriam falar e produzir em nome destes judeus?

Claro está que quase não se escuta aqueles que são objeto direto das ações dos dirigentes que não sabem como agir e muitas vezes são apanhados no contrapé, falando sozinhos com seus botões e, pior, conversando uma conversa de surdos.

Hoje, prestando muita atenção no que se passa com o judaísmo pelo mundo, chego a conclusão que o diminuto número de judeus existentes em cada comunidade não oferece possibilidade de barganha com qualquer poder político local.

Chego mesmo à conclusão que um grupo étnico com poucos membros jamais será ouvido, vez que pouco tem a oferecer em troca.

Por outro lado, sei que a criatividade de uma liderança verdadeiramente voltada para as necessidades de sua comunidade, acrescida de ousadia, coragem, inteligência honestidade de propósitos, conhecimentos filosóficos e projeto ideológico, tudo isso, a serviço de uma boa dose de paciência na preparação de ações em série, pode sim levar um barco como este ao qual estou me referindo, a um porto seguro.

Você que está me oferecendo a honra de ler o que acabo de escrever, por favor, pense seriamente nos termos acima.

E você que gosta de maledicência, não saia por aí falando que estou escrevendo sobre uma comunidade específica. Não busque me lançar contra quem quer que seja. Minha tese não tem nomes e não deve ser atribuída objetivamente a ninguém.

Gostaria de poder contar com as opiniões de meus leitores sobre este tema que nos é tão importante.

Com quem não contar e com quem contar???

Você com a palavra!

Ronaldo Gomlevsky
About Ronaldo Gomlevsky 104 Articles
Ronaldo Gomlevsky é jornalista, advogado e empresário.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*