Campanha marca os 11 anos da Lei Maria da Penha

A Lei Maria da Penha (11.340/2006), que completa hoje 11 anos, foi criada com o objetivo de diminuir o descaso com o qual era tratada a violência doméstica contra a mulher no Brasil. Após a lei, tornou-se fundamental a criação de políticas públicas direcionadas à mulher. Para lembrar a data, a Secretaria de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos, por meio da Subsecretaria de Políticas para Mulheres, lança hoje a campanha Ele (a) dizia que me amava, mas…, na qual expõe diversos tipos de violência contra a mulher.

O lançamento da campanha acontece hoje no Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca. O evento terá a exibição de vídeos educativos, que mostram diferentes modos de violência contra a mulher. A ideia é alertar a população em geral sobre os direitos e a proteção da lei.

Além disso, o Ônibus Lilás, unidade móvel da secretaria que oferece assistência social, jurídica e psicológica às mulheres vítimas de violência doméstica, prestará, por duas vezes ao mês, a partir de hoje, atendimento de forma gratuita no terminal, por onde passam 50 mil pessoas diariamente.

– Ações como essas são fundamentais para prestar toda assistência necessária às vítimas de violência doméstica. A Lei Maria da Penha é um grande avanço no combate à violência doméstica. Não podemos mais admitir esse comportamento em nossa sociedade. Temos o dever de oferecer todo apoio às mulheres vítimas, independentemente de raça, classe social e/ou religião – afirmou o secretário de Direitos Humanos, Átila A. Nunes.

A Secretaria de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos tem três centros de atendimentos às mulheres vítimas de violência doméstica no Rio: em Queimados e em Nova Iguaçu, ambos na Baixada Fluminense; e um no Centro da capital. Ao todo, entre a primeira assistência e o retorno – quando a mulher precisa voltar ao centro por ameaça ou outro problema – do fim de março ao mês de julho, foram registrados 1.268 atendimentos.

Na sexta-feira (11/8), será realizado, às 9h, no Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim), um painel de debates com a participação de representantes das áreas jurídica, da segurança e da educação. O evento é aberto à população.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*